IJCA e famílias: valorização da busca por conhecimento

Kenia e Julia

A busca por conhecimento e melhores oportunidades profissionais fez o Instituto JCA marcar positivamente gerações  de muitas famílias. Nesta matéria, contaremos histórias em que a influência passou de mãe para filha e dos filhos para a mãe. 

A história de Kenia Costa, 35 anos, e Júlia Costa, 15 anos, é marcada pela passagem de mãe e filha pelo IJCA. Tudo começou em 2009, quando ao passar pelo prédio do Instituto Kenia notou o anúncio de inscrições abertas para cursos livres do Programa Oficina do Ensino. Como estava em busca de novas oportunidades, viu neste anúncio uma chance para trilhar um novo caminho. E ela não perdeu tempo, se inscreveu, participou do processo seletivo e iniciou a formação em Auxiliar Administrativo. Mas nem tudo estava saindo como esperado, já que em paralelo à formação, Kenia ainda precisou lidar com outros desafios na vida pessoal: estava desempregada, em processo de separação e com uma filha de apenas 3 anos.

No entanto, era questão de tempo para que a situação se revertesse. Kenia conta que a formação foi crucial para o ingresso em seu primeiro emprego formal, na empresa Auto Viação 1001, uma das empresas do Grupo JCA.”Foi muito importante, principalmente no curso de formação que me preparou para o mercado de trabalho. Eu não tinha nenhuma experiência formal”, lembra.

Mal sabia Kenia que sua integração ao Grupo JCA estaria apenas começando. Após a conclusão do curso e tendo vivência profissional, decidiu participar de um novo processo seletivo, novamente na empresa Auto Viação 1001, mas para vaga de ajudante de almoxarifado em outra unidade. “Quando surgiu outra vaga participei do processo seletivo e consegui ingressar, pois esse era meu sonho descrito como meta no meu Projeto de Vida. Isso é algo que trago comigo até hoje”, relembra.Também estava nos seus planos entrar na universidade e, algum tempo depois, o ingresso no curso de Serviço Social abriu portas para uma oportunidade de retorno ao Instituto. “Depois o IJCA me recebeu novamente como estagiária, foram momentos de grandes aprendizados. Em seguida fui transferida para o IJCA como assistente de projetos, voltei a casa que me abriu as portas pela primeira vez”, conta.

A referência positiva em torno da imagem do IJCA, especialmente, de quem se formou, atua e conhece de perto o funcionamento do instituto foi um estímulo a mais para sua filha, Júlia Costa, se inscrever no processo seletivo do Reforço Escolar, primeira fase do Programa Fortalecendo Trajetórias. “Para mim é um lugar de muitos aprendizados, até hoje. Falo sempre deste lugar que me acolheu e me despertou para o meu potencial”, conta Kenia. Hoje, Júlia ainda cursa a primeira fase do projeto, e assim como a mãe compartilha as boas experiências que tem vivido no instituto. “Foi muito importante, me ajudou muito, eu tinha muita dificuldade em matemática, principalmente. As professoras são muito atenciosas na forma de ensinar, me ajudaram muito a melhorar na escola. Mesmo com aulas online eu me senti acolhida”, declara.

Filhos e mãe em busca de conhecimento

Na história de Andréa Costa, 46 anos, a ordem de chegada ao instituto se inverteu. Isso porque em 2019, através das redes sociais, ela viu o informe sobre as inscrições do Reforço Escolar, primeira etapa do programa Fortalecendo Trajetórias, e não perdeu tempo em inscrever o filho Romulo Costa, de 17 anos. O período de avaliação, antes da classificação do filho no processo seletivo do Reforço Escolar, foi um momento de muita emoção. ” O momento mais marcante foi quando eu fui levar os documentos do Romulo para ele ser avaliado e depois passamos por entrevista. Parecia até que era eu que estava concorrendo a vaga”, relembra Andréa. A dedicação de Romulo nos estudos, rendeu bons resultados ao rapaz, que hoje é estudante do Colégio Pensi, e está na fase de Acompanhamento, segunda etapa do programa Fortalecendo Trajetórias.

Dois anos depois, em 2021, foi a vez da filha, Esther Costa, de 14 anos, participar do Reforço Escolar. E mais uma vez, houve alegria e emoção na família com a classificação da filha no projeto.” O que eu e o pai pudermos fazer para ajudar sempre iremos fazer. E ajudar a ter novas formas de aprendizado para ampliar o conhecimento e nova forma de ver a vida”, declara. 

Vendo a oportunidade bem aproveitada pelos filhos, Andréa, dessa vez, decidiu inscrever a si mesma no processo seletivo do curso livre Desenvolvimento Humano, Elétrica Veicular e Empreendedorismo, oferecido no âmbito do (Re)Conquista, programa co-realizado pelo Stone Impacta – braço de desenvolvimento social da Stone – e Banco Da Providência, com o apoio do Instituto Phi. Para ela, a experiência tem sido enriquecedora em diversos pontos. “Através do IJCA estou tendo a oportunidade de aprimorar mais os meus conhecimentos. Conhecer novas pessoas e ter uma nova oportunidade no mercado de trabalho”, conta. 

Para Andréa, o IJCA está marcado na história da família, porque através do instituto ela e os filhos podem ter mais oportunidades profissionais no futuro.”Hoje, estou fazendo o curso de elétrica veicular, e além disso, o IJCA está dando oportunidade de ensino aos meus filhos. Isso é muito bom, pois o conhecimento é a base para lutar por nossos objetivos”, concluiu.

Compartilhe

Posts Relacionados

Confira o resultado final do processo seletivo para cursos remotos (ensino à distância)

Atenção! Saiu o resultado do Processo Seletivo para cursosremotos em Administração de Materiais e Técnicas de Atendimento do programa Oficina...

Conexão IJCA e Alemanha

Oceanógrafa, mestre em geociências e recém empreendedora, Francielly Monteiro viu na educação a porta para alcançar seus objetivos. A jovem,...

IJCA leva Guia Acesso e Permanências para escolas e pré-vestibulares

No ano em que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), registra mais de cinco milhões de inscrições – o...