Rota da Cultura: Aprendendo para educar

No Parque Vila Maria, em São Paulo, educadores têm a oportunidade de aprimorar suas práticas educativas aprendendo sobre as artes do espetáculo no projeto Rota da Cultura: Som, Cena e Corpo. Iniciado em janeiro, o programa apresenta um ciclo de encontros reflexivos e criativos sobre as linguagens de concerto, ópera, dança e teatro, mediados por educadores com experiência nos temas. Cada uma das linguagens artísticas será estudada a partir de uma obra disponível online

 

Os primeiros módulos foram os de Concerto e Ópera. Com oficinas gratuitas e online, educadores e jovens tiveram a oportunidade de ampliar repertórios com novas referências poéticas e estéticas presentes nessas linguagens artísticas. Os encontros virtuais são divididos entre aulas fechadas e lives abertas ao público que acontecem semanalmente.

 

Ao se sentirem estimuladas a buscar novas referências, educadoras como Mércia Oliveira Besseler, 50 anos, que atua na rede particular e em Ongs na Zona Norte de São Paulo, entendem na prática a importância da arte no cotidiano de jovens e adultos. ‘’Como professora de artes, percebi que frequentar ativamente espaços de troca e aprendizado me faz levar novas dinâmicas para a sala aula.’’ afirma. Ela participa dos projetos do Parque das Artes Vila Maria, produzido pela Aymberê Produções em parceria com a Viação Cometa e o Instituto JCA desde 2019, quando integrou as turmas do curso de fotografia Fotossensível e da formação em Áudio Descrição.

 

Já em 2020, antes mesmo da pandemia, participou no Ateliê das Palavras, formação que explorou as dimensões da linguagem. Apesar do susto da quarentena, se manteve atuante nos encontros virtuais do Arte, Ar Terra e Natureza e agora na formação do Rota da Cultura. ‘’É inspirador saber que quem ensina, também está em constante aprendizado, isso se dá porque através de diferentes parcerias o impacto de transformação se amplia, atingindo ao mesmo tempo aluno e professor. Como atuo com crianças e adolescentes em situações de vulnerabilidade, preciso despertar a sensibilidade dessas crianças. Por isso a importância dos cursos apresentados pelo Rota da Cultura, sensibilizam a professora para chegar até o aluno. Um ciclo positivo, entende?!’’ destaca. 

 

A educadora Estefânia Zonaro argumenta na mesma linha. Professora da escola municipal Célia Regina Lekevicius Consolin, localizada próxima a sede da Viação Cometa, ela também participou do Fotossensível, em 2019 e do Ateliê da Palavra, no início de 2020,  e agora do  Módulo Ópera do Rota da Cultura. ‘’Participar do projeto é de fato um presente, pois reúne a possibilidade de lidar com um processo formativo por meios dos sentidos de forma generosa, lúdica.’’ afirma. 

 

Outro ponto de destaque para a professora é a oportunidade de trabalhar com as crianças em atividades feitas na escola. “Quando estamos constantemente frente a frente com pessoas que ampliam nosso olhar nos sentimos inspirados. Por conta da formação em música clássica do Rota da Cultura, me inspirei em elaborar algumas atividades aplicadas em sala de aula. Já usei como referência o bingo de palavras, a caixinha de palavras, e o baú de palavras”, relata.

 

Compartilhe

Posts Relacionados

13ª Mostra de Trabalhos - Habilidades Jovens

Confira a publicação do IJCA sobre a 13ª Mostra de Trabalhos que teve como tema “Habilidades dos Jovens”. O material...

 Instituto JCA presente na posse do Comitê de Participação Adolescente no CEDCA/RJ

Em Assembléia Extraordinária, adolescentes do Comitê de Participação Adolescente (CPA), tomaram posse no Conselho Estadual dos Direitos da Criança e...

Nova Lei de Cotas

Em um país com altos índices de desigualdade social, a Política de Cotas foi implementada em 2012 como um dos...